Criadores

Criadores

DANIEL GORJÃO

Nasceu em Minde no ano de 1984. Frequentou o ensino secundário na
vertente de Artes Dramáticas, no Centro de Estudos de Fátima, o Curso de
Formação de Actores da Universidade Moderna e a Escola Superior de
Teatro e Cinema.
Em 2003 ingressa na Companhia do Teatro Politeama, onde iniciou o
seu percurso, tendo sido dirigido por Filipe La Féria em diversas produções
até 2009.
Em 2010, funda o colectivo Rosa74 Teatro onde cria e dirige o
espectáculo “ um dia dancei SÓ dancei um dia”, vencedor do prémio
“Emergentes” TNDMII \ Festival de Almada. Destacam-se ainda os
espectáculos, “Intervenção: Antes de Começar”, de Almada Negreiros, que
dirigiu para o projecto One Nigth Stand e a performance “não te concedi a
ti, natureza, a decisão deste dia”, (Teatro Turim, Festival Inund’art –
Girona), bem como a assistência de encenação no espectáculo “Quem tem
medo de Virginia Woolf?”, de Ana Luísa Guimarães/TNDMII.
Em 2012 passa a dirigir o Teatro do Vão através do qual apresenta
“Sempre Noiva”, Teatro de Almada/Teatro Taborda/Festival Tudanzas
(BCN), e participa em co-criação com Maria João Luis nos Encontros do
Devir- Capa | Faro com o espetáculo “uma solidão igual à minha”.
Em 2013 no Teatro da Terra protagoniza o espetáculo “Ninguém se
ouve, ninguém se vê” de Maria João Luís, do qual também é assistente de
encenação. Nesse mesmo ano íntegra a programação do Festival Materiais
Diversos onde estreia “Que o dia te seja limpo”. Em Lisboa em co-produção
com SillySeason apresenta “FRAGMENTO”.
No ano 2014, cria e interpreta “Beco da Saudade” no Teatro do
Bairro, repõe “ Que o dia te seja limpo” no Teatro Taborda e encena “O
Olhar Inabitado das Manhãs”, no MUHNAC e “Radiografia de um Nevoeiro
Imperturbável” no TNDMII, espetáculo nomeado para os prémios TIME OUT.
Dirige ainda o movimento do espetáculo “Duas Pessoas” e “A Menina do
www.teatrodovao.com |produção@teatrodovao.com 8
Mar” de Maria João Luis/Teatro da Terra. Neste mesmo ano foi nomeado
para os Prémios Novos ( Fundação Gulbenkian).
Em 2015 estreia “Desta Carne Lassa do Mundo” no Museu Nacional de
História Natural e Ciência.
Em 2017 cria para o São Luiz Teatro Municipal “Júlia” e para o GTIST
“Ama como a estrada começa”, vencedor do Prémio Cidade de Lisboa do
Fatal e, em 2018 estreia “Onde não puderes amar não te demores”, a partir de cartas da Frida Kahlo, no Teatro Taborda.
Em televisão dirige regularmente dobragens para a RTP desde 2011.
Foi coach do programa ” Quem fala assim” co-produção ARTV/RTP2 e “Falame também do fado” e ” Praias olímpicas”. Foi director de arte no programa
“Zig Zag Ensaio de Natal”. Foi director de actores nos programas “A
República das Perguntas” ” Histórias para sempre” e “Poesia na Ordem do
Dia”. Criou e coordenou os projectos, “Perfeito Circulo Presente”, “Trapos e
conversas frívolas”, “Notas para a Alegria”, ” Até hoje sempre futuro”. Foi
responsavél pela apresentação da candidatura portuguesa ao New European
SongBook ( EBU), e Jurado dos Rose d’Or Awards na categoria de Artes
Performativas.
É consultor para as artes performativas da RTP2, desde 2016.